Articles

STE DIA NA HISTÓRIA

O Canal do Suez, ligando os mares Mediterrâneo e Vermelho, é inaugurado numa elaborada cerimónia em que participa a imperatriz francesa Eugénie, esposa de Napoleão III.

Em 1854, Ferdinand de Lesseps, o antigo cônsul francês no Cairo, conseguiu um acordo com o governador otomano do Egipto para construir um canal de 100 milhas através do Istmo de Suez. Uma equipe internacional de engenheiros elaborou um plano de construção e, em 1856, a Companhia do Canal de Suez foi formada e concedeu o direito de operar o canal durante 99 anos após a conclusão dos trabalhos.

A construção começou em abril de 1859, e a primeira escavação foi feita à mão com picaretas e pás empunhadas por operários forçados. Mais tarde, chegaram os trabalhadores europeus com dragas e pás a vapor. As disputas laborais e uma epidemia de cólera atrasaram a construção, e o Canal de Suez só foi concluído em 1869, com quatro anos de atraso. Em 17 de novembro de 1869, o Canal do Suez foi aberto à navegação. Ferdinand de Lesseps tentaria mais tarde, sem sucesso, construir um canal através do Istmo do Panamá.

Quando abriu, o Canal do Suez tinha apenas 25 pés de profundidade, 72 pés de largura no fundo, e 200 a 300 pés de largura na superfície. Consequentemente, menos de 500 navios o navegaram em seu primeiro ano completo de operação. Grandes melhorias começaram em 1876, no entanto, e o canal logo se tornou uma das pistas de navegação mais percorridas do mundo. Em 1875, a Grã-Bretanha tornou-se a maior acionista da Companhia do Canal de Suez quando comprou as ações do novo governador otomano do Egito. Sete anos mais tarde, em 1882, a Grã-Bretanha invadiu o Egito, iniciando uma longa ocupação do país. O tratado anglo-egípcio de 1936 tornou o Egito virtualmente independente, mas a Grã-Bretanha reservou direitos para a proteção do canal.

Após a Segunda Guerra Mundial, o Egito pressionou para a evacuação das tropas britânicas da Zona do Canal de Suez, e em julho de 1956 o presidente egípcio Gamal Abdel Nasser nacionalizou o canal, esperando cobrar pedágios que pagariam a construção de uma enorme barragem no Rio Nilo. Em resposta, Israel invadiu no final de outubro, e tropas britânicas e francesas desembarcaram no início de novembro, ocupando a zona do canal. Sob pressão das Nações Unidas, a Grã-Bretanha e a França retiraram-se em dezembro, e as forças israelenses partiram em março de 1957. Naquele mês, o Egito assumiu o controle do canal e reabriu-o à navegação comercial.

READ MORE: O que foi a crise do Suez?

Dez anos depois, o Egipto fechou novamente o canal após a Guerra dos Seis Dias e a ocupação de Israel da Península do Sinai. Nos oito anos seguintes, o Canal de Suez, que separa o Sinai do resto do Egipto, existiu como a linha da frente entre os exércitos egípcio e israelita. Em 1975, o presidente egípcio Anwar el-Sadat reabriu o Canal do Suez como um gesto de paz após conversações com Israel. Hoje, dezenas de navios navegam diariamente no canal, transportando mais de 300 milhões de toneladas de mercadorias por ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.